Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Meu Diário
09/01/2022 17h10
A VIDA COMO ELA É

Depois de trinta e um anos de relacionamento, chegou o momento de dizer adeus um ao outro.
Há coisas que sabemos serão melhores para nós. Há coisas que sabemos perderam completamente o sentido verdadeiro de continuar existindo, mas que vamos insistindo de todas as maneiras, simplesmente, por não se conseguir cortar o elo. Mas, chega o momento em que o elo se rompe por excessivo desgaste.
Mesmo quando sabemos que não há o que recuperar, que não há o que manter, que não há mais nada que possa nos dizer: "ainda há este pequeno grão que poderá, com os devidos cuidados, germinar."
Pois, há desgastes que são irreversiveis. Há desgastes que mexem tão profundamente com os nossos sentimentos e com as nossas emoções que não deixam restar um pequeno fio para que se possa reiniciar aquilo que foi desfeito.
Há relações onde nelas permanece a amizade entre o casal, em nome de tudo o que viveram. Eu pensei que se um dia a minha relação terminasse, seria assim: com a grandiosidade das almas, dos espíritos e dos corações que preservaria a amizade.
Mas, quando há traição, quando há deslealdade, quando há abuso dos melhores sentimentos do outro, não dá para ser assim, não dá para seguir em frente, com um bom reconhecimento no outro.
O que dá, ao menos para mim, é sair da relação desejando ao outro toda a felicidade do mundo. Mesmo porque eu acredito que as pessoas que são felizes não sentem vontade e nem tem razão para fazer mal ao outro e não sentem vontade de prejudicar quem quer que seja. Eu julgo por mim, pois nem com toda a dor que eu estou sentindo eu pensei em prejudicar, em me vingar, ou desejar o mal. 
Eu estou sofrendo porque sou feita de sentimentos e emoções. Entretanto, eu sei que isto tudo vai terminar e que com o passar do tempo essa dor profunda, que hoje sinto, vai sendo aos poucos aliviada.
Foi mais uma batalha que enfrentei com dignidade. E assim, sigo a minha vida. Sigo com altivez e orgulho por ser quem eu sou e sempre ter vivido de maneira clara, transparente e honesta.
Uma pessoa com as minhas virtudes não aceita nada menos que reciprocidade de caráter, de valores e ética.
Eu continuarei a falar de amor, mesmo porque sempre acreditei neste sentimento bonito e verdadeiro. Afinal de contas, é o amor que sinto em meu coração que está me apoiando, me abraçando e cuidando de mim com todo o carinho e o respeito que eu mereço. Amor, carinho e respeito que eu dediquei,e dedico aos meus eleitos do coração.


Publicado por Mari S Alexandre em 09/01/2022 às 17h10
 
13/02/2018 12h37
Sou Poesia

Sou poesia

Eu acordo bem humorada,

Vivo com gratidão,

Em todos os momentos,

Buscando alegrar corações.

 

Se encontro alguém sisudo,

oferece-lhe um sorriso.

Se encontro alguém arrogante,

finjo que é educado.

 

 

Sabiamente, não coloco

em meus ombros,

as mazelas do mundo.

Seleciono somente aquilo que devo cultivar.

 

Desse modo, pela minha

vida, muitos vão passando,

Os melhores  vão ficando.

 

 

As experiências vividas,

preenchem, com alegria, os meus dias.

Enquanto, assim vou vivendo, um dia de cada vez.

 

 

 

 

 

 


Publicado por Mari S Alexandre em 13/02/2018 às 12h37
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
10/02/2018 13h36
Ele, o homem ideal


Tudo o que aprecio, encontro nele.

Ele é extretamente inteligente,  

é culto,  é impaciente, é divertido,

é satírico,  é doce, é bravo,

é ousado, é sensual, é companheiro,

é cúmplice, é ouvinte, é responsável,

é comprometido e é amoroso.

Além do seu jeito de ser, ele tem a alma no olhar.

Encontrei o homem sonhado, no momento indefinido.

C’est la vie!


Publicado por Mari S Alexandre em 10/02/2018 às 13h36
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
10/08/2015 11h54
Cemitério

Não seria o cemitério um paraíso? 
Um "pré-paraíso", talvez?
Por que será que a maioria, das pessoas, sente algo ruim em relação a esse lugar, que na verdade acolhe os que fazem parte da eternidade?
Um lugar bonito e tranquilo, que recebe as saudades dos visitantes, em completo silêncio.


 


Publicado por Mari S Alexandre em 10/08/2015 às 11h54
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/07/2015 13h52
Floresceu em mim

Em cada canto de mim,
coloco flores
para te receber.

O meu amor por ti,
é um florescer

Anoiteço e amanheço
com o gosto
do teu amor.

Invadiste-me a vida
com o teu louvor.


Publicado por Mari S Alexandre em 30/07/2015 às 13h52
Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 29 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » próxima»

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras