Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Meu Diário
29/12/2014 10h08
FELIZ ANO NOVO

Aos meus amigos e amigas queridos e queridas.

Meu desejo para vocês é de um Ano Novo de amor e de confraternização. Que seja um Ano Novo especial e de renovação dos laços entre os seus amados.
A vida vai mudando; vai se transformando. E também as mudanças e transformações vão ocorrendo na vida daqueles a quem amamos. 
As comemorações de fim de ano são especiais por aproximarem as pessoas queridas. Nessas datas nem todos os que gostaríamos estarão pertinho de nós em presença. Claro que estarão em nossos corações, contudo isto não satisfaz o nosso querer em colocar as pessoas queridas em nossos abraços. 
Faz parte do viver os filhos crescerem e nem sempre poderem estar conosco. O mesmo se dá com os amigos queridos. Alguns de nossos parentes amados… 
Entretanto, podemos diminuir distâncias e saudades nos momentos em que fazemos as nossas orações.
O que importa mesmo são os nossos bons sentimentos pelas pessoas que amamos e os sentimentos delas por nós. 
As mentes se ligam através da certeza do verdadeiro sentimento de amor.
Que sejamos um bom exemplo de confraternização em todos os dias de nossas vidas.

Feliz Ano Novo. 


Publicado por Mari S Alexandre em 29/12/2014 às 10h08
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
28/09/2014 12h17
SENSAÇAO

Ó mar, belo mar,

que tens a magia de me hipnotizar,

por longas horas,

diante de tua beleza.

Contemplo-a.

Divago em meus pensamentos, perante a tua

Imensidão.
Sonho.

Sinto como se, gentilmente, carregasses

meus sonhos para bem longe,

onde eu poderia, então, encontrar paz.

Somente diante de ti, ó mar, em paz, eu me sinto.


Publicado por Mari S Alexandre em 28/09/2014 às 12h17
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
28/09/2014 11h53
REAPRENDO A VIVER

O problema é que eu não estou conseguindo encontrar foças para tudo aquilo que, antes,   conseguia encontrar, com facilidade. Hoje, preservo alguma força restante, para o que é imprescindível, na tentativa de prosseguir um caminho qualquer, enquanto não consigo abraçar todas as minhas forças com a mesma intensidade que um dia foi alcançada. Tenho tentado de todas as formas e maneiras. Contudo, há uma parte frágil, em mim, que precisa de um tempo para se convalescer de tanta tristeza da qual foi invadida, repentinamente. Os dias transcorrem com o mesmo jeito, tão diferente do meu.

 

A minha parte frágil diz que sente vontade de sumir, tento não lhe dar ouvidos.

 

 

 

Não posso ouvir esta súplica, pois eu tenho que continuar a caminhada, na tentativa de construir novos caminhos, e  neles reencontrar a felicidade, que um dia fez parte do meu viver, e contra a minha vontade, de mim, se distanciou.

 

 

 

De repente tudo se modificou, de repente tudo ruiu... Contudo, eu não vou desistir de mim.

 

 


Publicado por Mari S Alexandre em 28/09/2014 às 11h53
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
28/09/2014 09h40
ARTE DOS SENTIMENTOS

As palavras criam vida nos pensamentos daqueles que as escrevem e daqueles que as leem.
Tanto as palavras ásperas quanto as palavras delicadas são sentidas através de cada coração.

Amar a arte de escrever pode adocicar a transmissão dos sentimentos através da poesia, quando os pensamentos, o coração e o dedilhar conseguem  fazer com que o leitor colha um buque de flores, mesmo contendo nele seus espinhos.


Publicado por Mari S Alexandre em 28/09/2014 às 09h40
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
26/09/2014 11h46
MEMÓRIA

A memória registra também aquilo ao qual não se ama lembrar. Aquilo que se quer esquecer. E as vezes, pensa-se  estar esquecido, porém voltam às lembranças em alguns momentos.



A memória registra os fatos mais marcantes, e os guarda para sempre. Sejam estes fatos, bons ou ruins.



Alguns dos quais, apesar de  serem dolorosos de serem lembrados, servem como proteção, numa eventual repetição, em evitar novas mágoas. 



Publicado por Mari S Alexandre em 26/09/2014 às 11h46
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 4 de 29 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 » «anterior próxima»

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras