Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Textos


Palavras trazidas de longe

Lidas e relidas milhares de vezes

Consentem as lembranças adormecidas 

Lágrimas da saudade 

escorrem e formam um rio de tristeza. 

Daqueles momentos vividos 

e guardados naquelas linhas.  

Entre as mãos, uma pilha de cartas que somente nelas estão registrados 

aqueles sentimentos que não mais existem. 

Do que foi vivido

Restaram  somente as palavras tão mágicas, outrora. Mas que, hoje, elas

causam algum desconforto e profunda tristeza

No coração a busca

pelo resgate daqueles sentimentos que 

foram florescentes,

não mais existentes.

Tudo passou, tudo se foi.

Exceto as palavras que

ficaram registradas e amareladas,

nas memórias, que as mãos,

insistem em dar-lhes vida. 

 

 

 

Mari S Alexandre
Enviado por Mari S Alexandre em 22/01/2022


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras