Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Textos


O povo apoiou a guerra, quero dizer a greve dos caminhoneiros, sem antes, saber exatamente o que os mesmos reivindicavam. 
Acreditava o povo que o presidente seria deposto, os corruptos iriam ser presos, as regalias dos políticos teriam fim, haveria aumento de salário para a população, empregos para os desempregados, preços acessíveis nas farmácias, supermercados e postos de gasolina. Saúde e educação para todos.
Na verdade o povo apoiou ficar sem alimentos, sem combustíveis, apoiou a morte de aves, de bovinos, a falta de remédios nas farmácias e nos hospitais, a possível morte daqueles que estavam internados em hospitais e daqueles que precisam de cirurgias, apoiou a falta de sangue para todo aquele que depende de doações sanguíneas.
Espero, sinceramente, que numa próxima greve, o povo reflita, antes de abraçar a causa às escuras.
O povo delira achando que uma greve por uma determinada causa, é na verdade uma greve que irá resolver todas as suas necessidades.
Alguém hoje escreveu em sua rede social, que o "Gilmar Mendes libera mais um bandido, enquanto culpabilizam os caminhoneiros".
Os caminhoneiros não exigiram a saída do Gilmar Mendes do Supremo Tribunal Federal. E nem conseguiram  acabar, magicamente, com a corrupção.
Há de se pensar antes de apoiar uma greve. Há de se pensar nas consequências da mesma.
O que é bom para uns, não é bom para todos.
Obviamente que os caminhoneiros têm direito às suas reivindicações. Por que não começaram parando alguns setores, ao invés de uma paralização total. A classe demonstrou que não se importa com as consequências que iriam ocorrer à população, mas somente com seus interesses próprios.
Esqueceram-se de que eles mesmos, ou membros de suas famílias poderiam precisar  de serem internados em alguma emergência hospitalar, correndo o risco de enfrentarem problemas ainda maiores para salvarem suas vidas.
Alguns justificam a decadência já existente na saúde, nas farmácias, aqui e ali. Acreditando que pelo fato do país estar péssimo, justifica-se piorar.
Creio que os caminhoneiros foram vistos, pelo povo, com roupas de super-heróis, e este acreditou que estava apoiando uma causa nobre. Que haveria mudanças fabulosas e miraculosas no país. Não pensaram que estariam apoiando a paralização do país em troca de um desconto de quarenta e seis centavos no diesel, para uma classe trabalhadora e que pagaria preços exorbitantes no combustível para abastecer seus veículos e que colocaria menos comida na mesa por causa dos preços elevados das mercadorias em troca de um apoio insano.
O povo gosta de bandalheira. Gosta, como dizem no popular, de “causar”.
Lamentável que unidos, consigam piorar consideravelmente o que já era ruim.
Mari S Alexandre
Enviado por Mari S Alexandre em 31/05/2018
Alterado em 31/05/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras