Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Textos


Eu tive muita sorte de ter nascido de um pai que, mesmo numa época machista, era um homem doce, que dividia as tarefas domésticas, e criou, junto de sua esposa, suas filhas para serem independentes. 
Mais tarde, eu me casei e vivi durante trinta e dois anos com um homem que respeita a mulher como um ser importante, um ser igual. Ele sempre dividiu tarefas, ficando com a pior parte delas, por ser um cavalheiro. 
Eu sempre me senti valorizada como mulher. Valorizada e livre. Sempre pude ser eu mesma. Sempre tive voz e atitude, sem o menor constrangimento.
Entretanto, sei que no mundo, poucas mulheres tiveram o mesmo privilégio de viverem uma vida, sendo valorizadas como um ser humano que merece respeito, atenção e honra. 
A mulher tem um papel importantíssimo na sociedade, pois dá sequência à humanidade. É educadora de seus filhos.
Parabenizam-nos por sermos mulheres. Não entendo esse parabéns... Sinceramente. As mulheres são vítimas de maus tratos, de pancadarias, de assédio sexual, de abuso mental, etc..
A mulher na sociedade está muito aquém do que deveria estar. Talvez, oparabéns seja pelo nosso sofrimento diante da desigualdade, em todos os sentidos. 
O dia de hoje, vale pela voz que é permitida às mulheres. Assim podem externar suas queixas e enumerar suas necessidades.
Mari S Alexandre
Enviado por Mari S Alexandre em 08/03/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras