Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Textos


 
Desculpe-me, amigo, pela demora em responder-lhe ao seu e-mail. Somente hoje, voltando da viagem à Paris,  abri minhas correspondências.
A viagem foi encantada. Imagine quando a gente se sente como se estivesse entrado num conto de fadas? Foi assim que me senti durante toda a viagem.
Ao abrir o seu e-mail pensei continuar em transe, rio. Acredito eu, que a lei áurea foi assinada há muitos anos e os escravos libertos das amarras. Por questão de segundos eu pensei estar vivendo em outra era – qualquer presente que eu recebo,  antes mesmo de abrir a embalagem eu costumo gostar. Mesmo porque eu sei dos esforços que um simples presente requer:  tempo, dinheiro, preparação e, também, a vontade de agradar aquele que irá receber o presente.
Até onde eu sei, nos dias atuais, desde que a escravatura acabou, não se pode mais presentear alguém, com seres humanos. Ainda bem, não é mesmo?  O tempo de se ter  posse do ser humano,  felizmente, se findou, na maioria dos países. Graças a Deus.
Portanto, por mais que eu quisesse receber o que você gostaria de presentear-me, eu não posso recebê-lo como meu escravo.
O que existe entre nós dois é essa linda amizade que foi um presente de Deus.
Uma amizade pura e amorosa. Nenhum ser humano poderá  oferecer em nome de uma outra pessoa o sentimento de amizade a quem quer que seja. Esse sentimento existe somente no coração de cada ser. Esse sentimento lindo de amizade, nasce sem razão de ser. E uma vez nascido, nada poderá impedí-lo de existir. Nada e ninguém poderá comandar, doar ou acabar com ele.
Felizmente, não existem regras para o sentimento de amizade. Não se escolhe o amigo pela cor, pela condição social, pelo estado civil, ou por qualquer outra razão ou condição. O sentimento de amizade é inexplicável, é puro e é belo, porque nasce espontaneamente e a pessoa passa a existir uma para a outra, ou as pessoas passam a existir umas para as outras. E tudo o que diz respeito a cada uma, passa a ser do interesse da outra pessoa. A meu ver, o sentimento de amizade é um dos sentimentos mais lindos que existe. Pois não há interesses maiores. Não existe sexo nesse sentimento, e nem é necessária a presença. O saber que o outro existe é tudo o que realmente conta. E é isso o que existe entre nós. Existe um querer bem. Um querer que o outro seja e esteja sempre contente. Pense bem, no quanto é lindo o sentimento de amizade.
Algumas pessoas não conseguem conviver com esse sentimento, pois querem o outro completamente para si. Querem e sentem-se posseiras do outro. Eu ao contrário, aprendi que ninguém é de ninguém. E que somos de nós mesmos e também do outro. Ou seja, ninguém é nosso, mas podemos ser de outro como doadores dos nossos melhores sentimentos.
Pois, se estivermos nessa vida para vivermos única e exclusivamente para nós mesmos, o que significaria a nossa existência? Eu sou um ser do amor. Eu vivo para mim, para a minha família e para o outro. Eu amo o amor. Eu amo as pessoas.
E algumas pessoas eu amo, ainda mais, por encontrar nelas, coisas que não encontro em qualquer outra. Algumas pessoas são muito especiais. São muito inteligentes, são muito carinhosas, são muito humanas, são muito altruístas e são  muito lindas. Essas pessoas não se encontram nas esquinas, pois elas são raras. E quando as encontramos queremos-as fazendo parte de nossas vidas. 


 
Mari S Alexandre
Enviado por Mari S Alexandre em 27/04/2016
Alterado em 03/12/2017
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras