Mari  Silva Alexandre

Sou flor, Sou amor. Sou Dor, Sou amor. É nisto que me resumo.

Meu Diário
28/09/2014 11h53
REAPRENDO A VIVER

O problema é que eu não estou conseguindo encontrar foças para tudo aquilo que, antes,   conseguia encontrar, com facilidade. Hoje, preservo alguma força restante, para o que é imprescindível, na tentativa de prosseguir um caminho qualquer, enquanto não consigo abraçar todas as minhas forças com a mesma intensidade que um dia foi alcançada. Tenho tentado de todas as formas e maneiras. Contudo, há uma parte frágil, em mim, que precisa de um tempo para se convalescer de tanta tristeza da qual foi invadida, repentinamente. Os dias transcorrem com o mesmo jeito, tão diferente do meu.

 

A minha parte frágil diz que sente vontade de sumir, tento não lhe dar ouvidos.

 

 

 

Não posso ouvir esta súplica, pois eu tenho que continuar a caminhada, na tentativa de construir novos caminhos, e  neles reencontrar a felicidade, que um dia fez parte do meu viver, e contra a minha vontade, de mim, se distanciou.

 

 

 

De repente tudo se modificou, de repente tudo ruiu... Contudo, eu não vou desistir de mim.

 

 


Publicado por Mari S Alexandre em 28/09/2014 às 11h53
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras